MGC Holding

Fundamental para determinar o valor atualizado dos ativos financeiros, a marcação a mercado está entre os principais mecanismos de aprimoramento do mercado para oferecer confiança aos investidores. Seja para um investidor experiente ou alguém que está começando a explorar esse universo, compreender o funcionamento da marcação a mercado possibilita decisões ágeis e estratégicas em relação aos investimentos.

 

Por meio desse tipo de precificação os valores dos investimentos são atualizados diariamente, sinalizando com antecedência os resultados de uma carteira. Pode ser fundamental para o investidor, portanto, na hora de montar sua estratégia de alocação. Quem tem seus investimentos, ou parte deles, alocados em renda fixa, por exemplo, sabe que o valor aplicado varia a cada dia, informação fundamental para montar sua estratégia de resgate ao logo do tempo.

 

Acompanhe a leitura e entenda como funciona a marcação a mercado (MaM) e por que ela é tão importante no contexto das finanças.

 

O que é marcação a mercado

 

Também conhecida como “mark-to-market”, a marcação a mercado é um processo de precificação diária por meio do qual os ativos e passivos de uma instituição financeira, como bancos, corretoras e fundos de investimento, são avaliados com base em seus valores de mercado atuais. Em outras palavras, a marcação a mercado reflete o preço pelo qual um ativo poderia ser comprado ou vendido no mercado financeiro em um dado momento.

 

Esse processo é especialmente relevante para ativos que são negociados em mercados públicos, como ações, títulos e commodities. A marcação a mercado permite que os investidores e instituições financeiras tenham uma visão atualizada do valor de seus ativos, o que é fundamental para uma avaliação precisa do desempenho de suas carteiras de investimento.

 

Por meio desse mecanismo é possível saber quanto vale um determinado investimento a cada dia, de acordo com as condições de mercado e outros critérios que eventualmente possam influenciar nesse cálculo. Ou seja, ele permite saber por qual valor você conseguiria vender seus ativos caso resolvesse negociá-los hoje.

 

O ajuste da marcação a mercado pode ocorrer tanto para cima como para baixo, e atualiza os valores diários tanto dos títulos de renda fixa (como o Tesouro Selic e os CDBs) como dos produtos de renda variável, incluindo os fundos de investimento.

 

Este processo é especialmente relevante para ativos que são negociados em mercados públicos, como ações, títulos e commodities. A marcação a mercado permite que os investidores e instituições financeiras tenham uma visão atualizada do valor de seus ativos, possibilitando uma avaliação precisa do desempenho de suas carteiras de investimento.

 

Qual o princípio da marcação a mercado?

 

A marcação a mercado tem como objetivo refletir o valor atualizado de uma carteira de investimentos, com base no valor a que eles estão sendo negociados, em um determinado momento. Ela indica quanto o investidor pode receber caso decida resgatar um investimento antes do vencimento (desde que essa hipótese esteja prevista em contrato).

 

Como funciona a marcação a mercado

 

A marcação a mercado é realizada de forma regular, em geral diariamente, para garantir que os valores refletidos nos balanços financeiros estejam sempre atualizados. Seu mecanismo considera três fatores principais: contexto econômico (levando em conta variáveis como inflação, taxa Selic, fatores políticos e mercado externo); demanda por um determinado ativo (ou seja, o apetite dos investidores); e o valor dos novos títulos que estão sendo emitidos.

 

Para calcular a marcação a mercado de um ativo, é necessário comparar seu preço de mercado de momento com o seu preço de aquisição original. Se o valor de mercado for maior do que o valor de aquisição, o ativo é registrado a um valor superior. Se for menor, ele é registrado a um valor inferior.

 

Vamos considerar um exemplo simples para ilustrar o conceito. Suponha que um investidor comprou 100 ações de uma empresa por $50 cada em um determinado dia. Se, no dia seguinte, o preço das ações dessa empresa subir para $55 por ação, as ações serão marcadas a mercado a esse novo valor. Portanto, o valor do investimento agora será de $5.500 em vez dos $5.000 iniciais.

 

Fatores que influenciam na marcação a mercado

 

Para compreender a avaliação dos ativos financeiros feita pela marcação a mercado, é importante ter em mente que ela não é um processo estático, tendo seu resultado diretamente influenciada por diversos fatores. Confira a seguir quais os principais.

 

Volatilidade do mercado

 

A volatilidade do mercado financeiro é um dos principais fatores que podem afetar a marcação a mercado. Os preços de ativos financeiros como ações e títulos podem flutuar significativamente em curtos períodos devido a eventos econômicos, políticos ou mesmo a humores do mercado. Essas flutuações podem resultar em mudanças rápidas no valor dos ativos, influenciando a marcação a mercado.

 

Liquidez do ativo

 

A liquidez de um ativo refere-se à facilidade com que ele pode ser comprado ou vendido no mercado. Ativos menos líquidos, como investimentos alternativos ou títulos de menor demanda, podem ser mais difíceis de marcação a mercado devido à falta de preços de mercado transparentes. Isso pode resultar em avaliações mais subjetivas e sujeitas a estimativas.

 

Modelo de precificação

 

Os modelos de precificação usados para calcular a marcação a mercado podem variar de acordo com a instituição financeira e o tipo de ativo. Diferentes modelos podem produzir avaliações distintas, levando a diferenças nas marcações a mercado. A escolha do modelo de precificação e a precisão dos parâmetros utilizados desempenham um papel crítico nesse processo.

 

Eventos extraordinários

 

Eventos como crises financeiras, desastres naturais ou mudanças geopolíticas podem ter impacto significativo na marcação a mercado. Esses eventos podem resultar em movimentos drásticos nos mercados financeiros, tornando difícil a determinação precisa dos valores de ativos afetados.

 

Maturidade e complexidade dos ativos

 

A maturidade e a complexidade dos ativos também são fatores relevantes. Ativos complexos ou com prazos mais longos podem ser mais suscetíveis a mudanças nas taxas de juros ou em condições de mercado, o que pode afetar sua marcação a mercado. A natureza do ativo e fatores de risco a ele associados influem na determinação do seu valor.

 

Vantagens da marcação a mercado

 

Entre as principais vantagens da marcação a mercado está a transparência que ela confere à gestão de riscos no setor financeiro, permitindo que investidores, reguladores e outras partes interessadas tenham uma visão precisa do valor dos ativos e passivos de uma instituição financeira em um determinado momento. Ela ajuda a evitar distorções no valor de mercado dos títulos e agrega segurança e confiabilidade ao ambiente dos investimentos.

 

Outro aspecto positivo desse tipo de precificação é o fato de ele fornecer uma avaliação precisa do valor dos ativos, refletindo as condições reais do mercado. Isso ajuda as instituições financeiras a tomarem decisões de investimento e gerenciamento de risco com base em informações confiáveis.

 

Além disso, ao manter os valores dos ativos atualizados de acordo com as mudanças no mercado, a marcação a mercado permite que as instituições financeiras avaliem de forma precisa e contínua os riscos associados aos seus ativos, promovendo uma gestão mais eficaz desses riscos.

 

A marcação a mercado também é um requisito importante em muitos sistemas regulatórios, que usam essa abordagem para avaliar a saúde financeira das instituições e garantir que elas mantenham níveis adequados de capital.

 

Nos fundos de investimento, a marcação a mercado tem uma função particularmente importante: ela garante que os cotistas recebam remunerações proporcionais à sua participação, independentemente do número de pessoas que tenham entrado ou saído do fundo naquele período.

A MGC Holding

Somos o maior player independente do mercado brasileiro de créditos inadimplidos de consumo e os únicos a atuar em duas frentes de reestruturação da saúde financeira: a de empresas e a de consumidores.

Ao navegar em nosso site, você concorda com nossa política de privacidade.